Mercado saturado na advocacia? Seja competitivo da forma certa!

Entendendo os números

Vamos entender o que está por trás do mito do mercado saturado e o que se deve fazer para ser competitivo na advocacia. Contra fatos, não há argumentos, certo? Até pode ser, mas a grande pergunta é: você está sabendo entender os fatos da forma certa? Isso porque, realmente o número de advogados no mercado brasileiro é altíssimo. Até a data dessa pesquisa, só perdíamos em números absolutos para os Estados Unidos e para a Índia.

Em 2018 ultrapassamos, no Brasil, o número de 1.100.000 (um milhão e cem mil) advogados oficialmente registrados no Conselho Federal da OAB. Somado a isso, todo dia entram no mercado, aproximadamente, 177 advogados.  Agora sabe o porquê você lê o mercado como saturado? Porque a grande maioria dos profissionais apresenta características similares.

Traçando o perfil do profissional insatisfeito

A revista ProJuris preparou em conjunto com o Censo Jurídico uma entrevista com alguns advogados (mais de 600 profissionais de todo país). Ao final, trouxe os seguintes resultados da sua pesquisa- dados esses que servem para traçar o perfil do advogado insatisfeito com o mercado de trabalho:

● 43,4% são advogados autônomos, enquanto 25,6% trabalham em escritórios de advocacia;
● 46,2% trabalham na área cível, 11,1% na área trabalhista e 11,4% na área empresarial;
● 61,9% iniciam de 0 a 10 novos casos e 17,7% iniciam de 10 a 30 novos casos mensais;
● 58% têm renda de até R$ 3.000, 00 por mês;
● 32% indicaram o mercado saturado como principal vilão para 2019.

Tendo por base as informações da pesquisa, é possível chegar às seguintes conclusões sobre o perfil do advogado insatisfeito:

• se concentra em três áreas de atuação (Cível, Trabalhista e Empresarial);
• apresenta problemas em prospectar novas demandas (a grande maioria até 10 novos casos por mês) o que, por consequência, acaba gerando uma renda baixa (até R$ 3.000,00).

Saia da multidão! Se destaque!

Imagina a seguinte situação: um céu cheio de balões daqueles com cestinha que cabem pessoas dentro. Aí você está numa montanha próxima observando aquela infinidade de balões no céu e eles estão todos exatamente na mesma altura. Que impressão isso vai passar? Que o céu está cheio. No entanto, e se alguns balões acenderam a chama e subirem um pouco mais, o que acontecem? Ele ficará em evidência. Simples assim! Agora eu passo a bola para você: o que você está fazendo para se destacar?

Tenha destaque na advocacia: em três passos

Passo 1- No olhe para a grama do vizinho

Exatamente isso que você leu acima. Sabe qual a melhor forma de vencer a concorrência? Ignorando-a. Tornando ela absolutamente irrelevante. Parece que socialmente fomos ensinados a sermos competitivos. Mas acontece que entendemos tudo errado. Toda vez que colocamos a concorrência contra outra pessoa, o cenário passa a ser incontrolável.

Então, o que você deve fazer? Concorrer contra alguém que você conhece os bastidores. E quem seria essa pessoa? Você! Não tem nada de poético aqui. A lição é bem clara. Você deve buscar ser a sua melhor versão todo dia. Toda vez que tentamos personificar a concorrência nos outros, nós nos colocamos no lugar dessas pessoas. E o que o seu concorrente não conseguiu enxergar, você também não vai.

Essa é a importância da mudança de perspectiva. Quer ver um exemplo clássico sobre o assunto: o Cirque Du  Soleil. Eles chegaram no mercado e simplesmente subverteram toda e qualquer lógica que o circo vinha tendo até então. Conseguiram enxergar o que os outros no mercado não estavam percebendo e prosperaram. É assim que você deve ajustar sua mentalidade a partir de agora. São essas as suas ferramentas para deixar de acreditar no mito do mercado saturado e se tornar competitivo na advocacia

Passo 2- Adquira conhecimentos multidisciplinares

Aqui está o seu combustível para ir mais alto. Comece entendendo o seu escritório como um negócio. Faça a divisão por setores (estratégico, financeiro, marketing, e por aí vai). Depois analise que conhecimentos você terá que adquirir para ser gestor de cada área.

Esse é um dos pontos cegos das Faculdades de Direito. O foco do ensino acaba se voltando para duas frentes: ou em concurso público ou ser advogado em algum escritório já com a estrutura formada. Ainda não existe atenção com os advogados empreendedores. Mas não adianta chorar sobre o leite derramado. Bora correr atrás do prejuízo!

Passo 3- Ouse, mas com moderação

Afinal, ser empreendedor já requer ousadia, imagina então ser empreendedor na advocacia? Por isso, você deverá investir em ferramentas novas para nossa classe. O caminho é investir no digital. Todavia, você encontrará algumas limitações inerentes à profissão, mas não há impeditivos para que o meio digital seja o eleito como propagador da sua imagem profissional. Nesse texto aqui falo mais sobre o assunto. Por fim, espero que você tenha desconstruído o mito do mercado saturado e entendido quais os passos que você deve dar para ser competitivo na advocacia. Esse texto fica por aqui. Já sabe, né?! Se este texto fez sentido para você, curte, compartilha e nos segue nas redes sociais. Até a próxima e forte abraço!

Gostou desse artigo? Compartilhe!

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkdin
Share on pinterest
Compartilhe no Pinterest
Joana Salaverry

Joana Salaverry

Sou Joana Salaverry, fundadora do Portal PowerJus, educadora e advogada com pós em Políticas Criminais, e ajudo colegas advogados a conquistarem a realização profissional e o reconhecimento que merecem através do Empreendedorismo Jurídico.

mais artigos

Deixe um comentário

PowerJus © 2019 – Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: 

Em qual e-mail deseja receber o Livro Digital?

Nós respeitamos a sua PRIVACIDADE e nunca enviamos SPAM.