O mais completo Guia sobre Marketing Jurídico

Mais completo Guia sobre Marketing Jurídico

O marketing é uma ferramenta imprescindível para o sucesso de qualquer empreendimento. Existem algumas pessoas que até pouco tempo consideravam que o exercício do marketing era incompatível com algumas profissões mais conservadoras, como a advocacia. No entanto, aconteceram muitas mudanças no cenário e nos hábitos do consumo. A relação entre clientes e profissionais ficou mais dinâmica e próxima. A principal responsável por isso? A internet. A seguir você encontrará o mais completo Guia sobre Marketing Jurídico que irá abordar os pontos mais importantes sobre o assunto.

Todavia, ainda existem ainda algumas peculiaridades no marketing jurídico. A principal delas está relacionada às limitações previstas no Código de Ética da OAB. Aqui vem o grande desafio: como pensar em uma estratégia eficaz de marketing jurídico que esteja de acordo com as premissas do Código de Ética? Isso é possível?

Claro que sim. Não só é possível, como é mais fácil do que você imagina! Se você se interessou pelo assunto, vem com a gente que esse Guia Completo foi pensado para facilitar a sua vida e esclarecer todas as suas dúvidas sobre o assunto. A ideia é que nos tópicos a seguir você encontre todas as informações necessárias para já colocar a mão na massa e testar, na prática, os conhecimentos que você adquirir por aqui.

 

Publicidade e marketing na advocacia- São sinônimos?

Por mais que os termos possam soar como sinônimos, a verdade é que não são. Eu sei que você já deve estar cansado de teoria, certo?! Afinal, na Faculdade já ficamos muito tempo nisso. Mas tenha um pouquinho de paciência aqui porque vai valer a pena. Essa parte teórica vai refletir na prática. Quer ver? Aproveita e dá uma olhada nesse vídeo do nosso canal do Youtube que aborda exatamente esse tópico (aqui). 

Conceito de Marketing:

Marketing é a ciência e a arte de explorar, criar e entregar valor para satisfazer as necessidades de um mercado-alvo com lucro. Marketing identifica necessidades e desejos não realizados. Ele define, mede e quantifica o tamanho do mercado identificado e o potencial de lucro. (Philip Kotler)

Já Publicidade significa, segundo Leonardo de Medeiros Garcia:

“o fato de tornar público (divulgar) o produto ou serviço, com o intuito de aproximar o consumidor do fornecedor, promovendo o lucro da atividade comercial”.

Sendo assim, podemos concluir que a Publicidade é uma das ferramentas utilizada dentro das estratégias de Marketing para atender os desejos dos clientes. Ou seja, a Publicidade visa convencer o consumidor sobre as vantagens de certo produto/serviço, para que o mesmo adquira o bem ou o serviço.

Agora que você entendeu bem a parte teórica chegou ao momento que você deve estar esperando: afinal, qual a diferença desses conceitos, na prática? O que essas diferenças teóricas vão trazer de impacto para as minhas estratégias de Marketing Jurídico?

Simples! Se você for lá no Código de Ética (no Capítulo sobre Publicidade Profissional, Artigos 39/47), você encontrará limitações à Publicidade, mas não ao Marketing. Como assim? Isso quer dizer que quanto às estratégias você pode ser mais ousado e profundo do que com relação à abordagem do cliente. Inclusive o indicado é que em momento nenhum você aborde, diretamente, o seu potencial cliente. E quem fornece essa possibilidade? Outra vertente do Marketing (o Inbound Marketing) que você verá mais a seguir.

Publicidade na advocacia pelo novo Código de Ética: quais são as limitações? O mais completo Guia sobre Marketing Jurídico!

Essa é uma das grandes questões que rondam os advogados. Como fazer uma Publicidade eficaz que não vá de encontro com os preceitos do Código de Ética. Para que isso fique bem fixado, nada melhor do que – primeiramente- entender o que o Código dispõe sobre o assunto (dos Artigos 39/47).

Entenda as seguintes premissas gerais da Publicidade: deve ter caráter meramente informativo, deve ser discreta e sóbria. Não pode configurar captação de clientela ou mercantilização da profissão (Artigo 39). Mas afinal, o que isso quer dizer? Isso quer dizer que sua Publicidade deve chamar atenção pelo conteúdo (ser informativa), não pela forma ou pelo meio de divulgação (deve ser discreta e sóbria). Além disso, você não pode abordar o cliente diretamente para oferecer seus serviços (isso configura captação de clientela), nem pode fazer nenhum tipo de Publicidade que venha a mercantilizar a profissão.

Dito isso, você já consegue calibrar a sua mentalidade para o que é mais importante na Publicidade na Advocacia: fazer com que as informações que você dissemina através dos canais de comunicação permitidos (aqui, foco nos meios digitais) atraiam os clientes. Se você fizer assim, essa estratégia além de mais efetiva estará dentro dos parâmetros estabelecidos pelo Código de Ética.

Marketing Jurídico Digital- a mudança de foco

As tecnologias avançaram e muito. Sendo assim, isso acabou impactando o mercado e transformando o modo com as relações de consumo acontecem, agora no ambiente virtual. Se você parar para refletir, até pouco tempo atrás estratégias de Marketing eram recursos acessíveis só para grandes empresas e conglomerados.

No entanto, hoje eu estou aqui conversando com você sobre estratégias que você mesmo pode aplicar e que causarão muito impacto no seu negócio, sem precisar do intermédio de agências de marketing jurídico.  Não é demais?! Nesse momento você deve estar se perguntando o que tem de tão diferente no Marketing Jurídico Digital, certo?! Eu vou responder: o foco aqui vai ser no conteúdo, por isso vamos falar em Marketing de Conteúdo.

Por isso, aqui não se pensa em material publicitário (nada de tentar convencer ninguém), se pensa em material informativo (lembra do Artigo 39 do Código de Ética?! Viu como se encaixa como uma luva?!). Essas estratégias poderão ocorrer através do seu Blog, das suas Redes Sociais, dentre outros meios. Agora que conseguimos nos localizar dentro do Marketing Júridico online, vamos falar nos próximos passos sobre como explorar o Inbound Marketing, o Marketing de Conteúdo e suas vertentes, assim como iremos falar sobre as melhores estratégias para executar o seu Marketing Jurídico nas Redes Sociais. Mãos à obra!

 

Inbound Marketing na Advocacia: faça os clientes virem até você!

Dentre os tipos de Marketing estão: o Marketing de Relacionamento, o Marketing Promocional, o Inbound Marketing, dentre outros. Vamos nesse tópico focar no último. O Inbound Marketing é conhecido como marketing de atração. Isso porque ele propõe a inversão dos papeis, ao invés da empresa sair atrás do cliente em potencial, é o cliente que chega até a empresa. Como? Por meio dos mecanismos de busca, sites, redes sociais.

Essa primeira aproximação, todavia, não tem intenção de compra de nada. A pessoa se aproxima porque encontrou um material informativo- de grande valor- que você produziu. A partir daí ela entrará em contato com você e seus conteúdos para ser convertida de visitante à cliente.

Agora vamos acrescentar mais uma peça nesse tabuleiro: o Marketing de Conteúdo. Há quem os trate como sinônimos, mas na verdade o Inbound Marketing é o marketing focado na atração dos clientes em potencial e o Marketing de Conteúdo é o combustível dessa estratégia. Isso porque o Marketing de Conteúdo é todo o conteúdo feito para educar, informar, entreter uma plateia. Ou seja, os dois devem funcionar em harmonia, caso contrário não adianta atrair os visitantes e não convertê-los em clientes. Nesse vídeo falamos um pouco mais sobre o Inbound Marketing e o porquê é a estratégia mais indicada para a advocacia. Confere só!

Marketing Jurídico nas Redes Sociais: como fazer? O mais completo Guia de Marketing Jurídico

Nessa altura do artigo você já reúne informações suficientes para abordarmos esse tópico. Isso porque, você já sabe que sua Publicidade deve ser informativa, a abordagem sugerida é a do Inbound Marketing (Marketing de Atração) através do Marketing de Conteúdo. Agora colocamos a cereja no bolo: as Redes Sociais. Sim, porque seus potenciais clientes com certeza estão por lá. Cabe a você atraí-los. Como? Através de postagens interessantes nas Redes Sociais. No entanto, existem alguns passos que você deve prestar atenção para que suas postagens sejam eficientes. Dá só uma olhada:

Passo 1- Esqueça o juridiquês! Se comunique da forma mais clara possível!

Eu sei que nós passamos um bocado de anos aprendendo e dominando uma linguagem técnica e específica da profissão, que agora já faz muito sentido para nós, correto?! O grande problema aqui é a o seu interlocutor, muito provavelmente, não fez Direito.

Sendo assim, o primeiro passo para chamar a atenção do seu público é falar de um jeito acessível e claro. Essa também é uma exigência implícita das Redes Sociais. A pessoa vai só parar para ler e interagir com um conteúdo que chame a atenção e seja de fácil compreensão.  Sendo assim, foco na clareza!

Passo 2- Foque na solução, não na explicação

Esse ponto também é muito importante. Vejo muitos advogados postando Ementas de Súmulas e decisões de Tribunais Superiores e essa estratégia é pouco eficiente. Muito provavelmente o seu potencial cliente não vai entender qual o impacto que essa decisão irá causar na sua vida.

Por isso, facilite a vida dele! Ao invés de explicar o porquê, pule para a transformação que essa decisão irá causar na vida dele. Muito mais atrativo, não é mesmo?! Com certeza esse tipo de postagens será muito mais eficaz e atrativa. Testa e depois vem me contar, combinado?

Passo 3- Mantenha a constância

Você precisa entender que é necessário manter a constância nas postagens, cuidando como está a interação das pessoas com seus posts para que os resultados apareçam. Se você que está me lendo agora nesse exato momento está começando a traçar suas estratégias, sugiro que comece com o Facebook e o Instagram, fazendo um Post por dia.

Aqui vão algumas dicas para facilitar a sua vida: você pode replicar os Posts  entre essas Redes (ou seja, usar o mesmo Post no Facebook e no Instagram) e pode usar programas para agendar seus Posts. Como assim? Você programa todos os Posts que quer fazer durante a semana e deixa nesses programas de agendamento e o resto é com eles. Eles publicam conforme você planejou. Ajuda muito na produtividade! Esses são alguns dos que você pode utilizar:

  • Mlabs– Dentre as funcionalidades ele conta com as seguintes: agendamento de posts (no Instagram, Facebook, Google Meu Negócio, Twitter, LinkedIn, Youtube e Pinterest), a possibilidade de usar o mesmo post em diferentes redes sociais, além de poder criar grupos de hashtags e assinatura. No quesito preço: você pode testar a ferramenta, gratuitamente, por 7 dias. Já os planos tem a partir de R$ 4,13 reais ao mês (só agendamento de postagens) e R$ 12,90 ao mês (plano completo).
  • Postcron- Aqui cabe ressaltar que uma das principais vantagens dessa ferramenta é a viabilidade de agendar diversas publicações de uma vez só, permitindo criá-las no Excel para então enviá-las em apenas uma tacada. O PostCron permite o envio e agendamento de até 1000 posts simultaneamente. No quesito preço a desvantagem é a cobrança em dólar. No entanto, você pode testar- gratuitamente- por 7 dias e os planos são a partir de USD 8,00 (oito dólares).

Dicas de Marketing Jurídico- O mais completo Guia sobre Marketing Jurídico!

Vamos agora, nesse tópico do mais completo Guia sobre Marketing Jurídico,  sistematizar algumas dicas para que você possa começar a colocar em prática suas estratégicas de Marketing Jurídico. A ideia é que você se beneficie com as facilidades do Digital e comece a atrair e conquistar clientes, de forma eficaz e dentro das premissas do Código de Ética.

Dica 1- Tenha um site com Blog

O site com blog é uma ferramenta muito importante de atração e aproximação entre você e seus potenciais clientes. Além de ser uma plataforma própria (diferente das Redes Sociais em que você conta com o intermédio de algoritmos para chegar até sua plateia), você terá a total liberdade e o acesso a quem chegar até o seu site.

Utilize o site para dispor informações sobre você e o seu trabalho. Aqui vão algumas sugestões dos dados que você poderá compartilhar:

  • Seu currículo- É um dado importante para reforçar a sua autoridade em determinada área de atuação. Aqui não fique preso só aos diplomas formais, coloque também se é correspondente em algum Blog da área e coisas do gênero.
  • O endereço do escritório- Sabe no pé da página quando você coloque o endereço mais um mapa auxiliando como chegar. Essa espécie de informação ajuda muito.
  • Sua área de atuação- Focar numa área de atuação auxilia a criação da sua autoridade digital. É importante que isso fique em evidência para quem navegar pelo seu site.
  • O link para suas Redes Sociais- Quanto mais integradas as suas plataformas estiverem, melhor. Pense nisso!

Dica 2- Entenda e trace o perfil do seu público- alvo

Quanto mais informações você tiver sobre o perfil do seu público-alvo melhor. Com certeza uma estratégia que causa bastante impacto é aquela sensação de: nossa! É exatamente assim que eu me sinto! E para que isso aconteça é necessário saber quem está do outro lado. Procure entender as preocupações, as dores da sua persona.

Um ponto de partida pode ser as informações que você possui dos seus atuais clientes. Faça uma análise e busque por padrões. Exemplos: Quais dados você possui sobre as atividades que eles fazem? Como eles se comunicam da melhor forma: whatsapp? Email? Qual o estado civil deles? Como eles consomem informações? Esses dados vão ser muito úteis para escolher como, onde e quando aplicar o marketing jurídico.

 

Dica 3- Tenha uma estratégia

Não é indicado que você coloque em prática essas estratégias de marketing sem ter clareza sobre seus objetivos. Separe um tempinho para refletir sobre esse tópico. Quais os resultados que você almeja? Qual seu prazo para isso? Tenha como base suas metas financeiras e as métricas de crescimento do escritório.

Faça ciclos de curto, médio e longo prazo. Isso facilita para que as metas se tornem mais tangíveis. Exemplos: meta de longo prazo- 100 clientes para o próximo ano. Para fazer as metas de curto e médio prazo você pode simplesmente dividir pelos meses do ano ou fazer uma métrica mais personalizada de acordo com a sazonalidade do seu escritório.

 

Livros auxiliares ao tema: Marketing Jurídico

Na Faculdade não aprendemos nenhuma vírgula sobre matérias que pudessem nos auxiliar na tarefa de empreender na advocacia. Sendo assim, até ingressar no mercado de trabalho nada de: Marketing Jurídico, Gestão Financeira, Gestão Estratégica, entre outros. O Portal nasceu com esse objetivo, nossa missão é formar empreendedores e fornecer todo o conhecimento que você precisará para alcançar o seu sucesso na advocacia.

Nesse tópico traremos algumas sugestões de literaturas para que você possa complementar-caso queira- o estudo sobre o assunto. As indicações não são restritas ao Marketing Jurídico. Por quê?  Acreditamos que é importante utilizar esse espaço para quebrar algumas objeções sobre o assunto. Vamos a elas!

Indicação 1- Marketing Jurídico- Autor: Felipe Dutra Asensi-Editora Elsevier

  • O autor traça um panorama desde as dificuldades para iniciar e manter um negócio na advocacia até estratégias de Marketing e de Relacionamento com o cliente e com a mídia.
  • Estrutura do Livro:

  • Por que ser diferente?

  • Aqui é feita uma análise sobre a necessidade que o profissional do direito tem de se destacar. Não sendo mais apenas um técnico jurídico, mas que desenvolva também competências administrativas e interpessoais. O autor foca muito no desenvolvimento do advogado enquanto empreendedor, colocando nesse papel um peso importante para o sucesso das estratégias de marketing jurídico.
  • Como é a realidade da advocacia no Brasil?

  • O grande número de profissionais no mercado faz com que a dinâmica seja cada vez mais desafiadora. Para ter sucesso não basta ser diferente, deve ser reconhecido como diferente pelos concorrentes, mercado e clientes. O caminho é assumir o papel de gestor. Para isso você terá que superar algumas dificuldades, especificamente em relação ao marketing jurídico: o apego à lei, a ideia de que você só presta serviços e as atribulações do dia a dia.
  • Marketing e Serviços Jurídicos-

  • O Marketing aqui aparece como aliado para que você se posicione, com autoridade, no mercado. Você deve utilizar as ferramentas do marketing e estar munido de uma estratégia realista e eficaz ao seu plano de negócio. Vale a pena se aprofundar no assunto.
  • Identificando os concorrentes-

  • O foco aqui é em entender e mapear os seus concorrentes. O objetivos? Estar onde eles estão e, principalmente, onde eles não estão. Também há uma flexibilização da concorrência, com a possibilidade do estabelecimento de alianças estratégicas, em certos casos.
  • Relacionamento com o cliente-

  • A ênfase é na reflexão a respeito do perfil do potencial cliente e na construção de estratégias diferenciadas. Por isso a importância de conhecer e mapear o seu público-alvo. Se existem algumas variáveis que você não pode controlar, atenha-se nas que estão ao seu alcance: qualidade e ética. O “marketing em bola de neve” mostra-se boa alternativa enquanto ferramenta para reforçar a sua marca e a sua autoridade.
  • Relacionamento com a mídia-

  • Mostra a importância da mídia na construção da autoridade do advogado. Isso porque, de acordo com o autor, um excelente profissional deve agregar a capacidade de excelente produtor de conhecimento jurídico somado à figura de gestor da visibilidade do que produziu. Dentro dessa estratégia o site aparece como vitrine importante e deve possuir- primordialmente- os seguintes requisitos: beleza, informação, funcionalidade e acessibilidade.
  • Relacionamento com os funcionários-

  • Os funcionários são autores importantes dentro da estratégia do marketing na advocacia. Qualquer escritório que quiser pensar com seriedade sobre a prestação dos serviços jurídicos deverá estabelecer estratégias a respeito da liderança.
  • Regras do Marketing-

  • A publicidade na advocacia conta com algumas limitações provenientes de premissas da profissão e que são norteadas pelo Código de Ética e mais alguns instrumentos específicos. Sendo assim, há de se concluir que as normas da advocacia são bastante principiológicas. Por isso, não basta a existência de uma lacuna para que seja possível concluir a possibilidade de desenvolver uma determinada estratégia de marketing jurídico.

Indicação 2-    A estratégia do oceano azul: Como criar novos mercados e tornar a concorrência irrelevante- Autores: W. Chan Kim e Renée Mauborgne- Editora Sextante

  • O livro já é um best- seller com mais de 3 milhões de exemplares vendidos. Ele está aqui porque acreditamos que se encaixa perfeitamente para você e para o mercado da advocacia no Brasil que já é o terceiro em números (só perde para os EUA e a Índia). Ou seja, ele cria estratégias para vencer a concorrência de uma forma inovadora: tornando-a irrelevante.
  • Estrutura do Livro:

  • Parte I-

  • A Estratégia do oceano azul- Aqui o foco é em contextualizar o leitor a respeito do conceito e da estratégia. Em poucas palavras, podemos dizer que os Oceanos Azuis são os mercados ainda não explorados. Do contrário, os Oceanos Vermelhos são os espaços onde há uma intensa luta pela conquista de território. O grande desafio aqui é encontrar e desbravar caminhos novos.
  • Parte II-

  • Formule a estratégia do oceano azul- O princípio da Estratégia do Oceano Azul é mudar a visão de mercado para se libertar da concorrência e criar oceanos azuis, onde o conceito de concorrência se torna irrelevante. Como proposta de caminho para encontrar os Oceanos Azuis, o livro fala sobre um conjunto de modelo das seis fronteiras. Esse modelo pode ser simplificado da seguinte forma:
    • Primeira fronteira: Examinar os setores alternativos;
    • Segunda fronteira: Examinar os grupos estratégico dentro dos setores;
    • Terceira fronteira: Examinar a cadeia de compradores;
    • Quarta fronteira: Examine as ofertas de produtos e serviços complementares;
    • Quinta fronteira: Examine os apelos funcionais e emocionais dos compradores;
    • Sexta fronteira: Examine o transcurso do tempo.
  • Durante a parte dois do livro, são abordados detalhadamente todos os seis modelos das fronteiras.Nesta parte estão os estudos de caso mais valiosos do livro. São situações e sacadas valiosas e  só lendo o livro você conseguirá entender com profundidade o que estou falando. Com certeza vale a leitura!
  • Parte III-

  • Execute a estratégia do oceano azul- Essa parte é focada na prática. Aqui o foco é na implementação da estratégia. As dicas fornecidas nesta parte do livro, são práticas para que você consiga da melhor forma possível colocarem em prática todas as etapas da sua estratégia. Podemos citar como exemplos: Redistribuição de recursos, encontro com clientes, utilização de recursos motivacionais, dentre outros, são dicas quentíssimas para sua estratégia ser executada com sucesso.

 

Curso de Marketing Jurídico- O mais completo Guia sobre Marketing Jurídico!

A ideia aqui, nesse tópico do mais completo Guia sobre Marketing Jurídico, é norteá-lo a respeito de quais informações você deve buscar num curso sobre Marketing Jurídico. O mercado está começando a se atentar sobre essa necessidade dos profissionais e já está se posicionando sobre o assunto, apontando produtos e soluções.

Tenha atenção a um aspecto em específico: procure um curso com foco na parte prática. Nossa formação nos deixou como herança esse mito implantado sobre a segurança acadêmica. Isso nada mais é do que a segurança em certificados e não em resultados. Você precisa reverter isso! Analise as grades curriculares dos cursos com base nos potenciais de resultados que ele pode reverter no seu escritório de advocacia.

Antes de escolher qualquer produto pense nas três metas principais que você pretende alcançar com esse curso e avalie as chances do produto entregar os meios para que essas metas sejam obtidas. A dica aqui é essa: parta da linha de chegada e então procure um mapa para guiá-lo.

Como conseguir clientes para escritório de advocacia através do Marketing

Esse é o ponto que todos esperavam. Afinal eu entendo que você se interessou sobre Marketing Jurídico, mas na verdade esse é o só o meio para alcançar a sua meta: conseguir mais clientes para o seu escritório. Por isso, nesse item vamos amarrar todas as pontas que viemos costurando ao longo do mais completo Guia sobre Marketing Jurídico.

Em síntese você precisa criar uma Presença Online forte na internet, criando pontos de atração o que o tornará um verdadeiro ímã para atrair clientes. Tudo isso utilizando os recursos da internet de forma eficiente, sem ferir o código de ética da OAB. Confere esse vídeo que fala exatamente sobre isso.

Aqui o que você precisa fazer para tornar-se um ímã e atrair clientes: o mais completo Guia de Marketing Jurídico

  • Site:

  • Tenha um site institucional do escritório, com Blog- Para dispor sobre as informações do seu negócio e produzir conteúdo de qualidade. Você deve focar nas informações objetivas (nome, endereço, área de atuação, horário de atendimento)  e no conteúdo (no Blog). O conteúdo tem se mostrado uma ferramenta muito eficaz de Marketing. Dentre outros motivos, ela ativa o gatilho da reciprocidade no seu leitor. Ou seja, você oferece- de forma gratuita- uma informação valiosa para a pessoa. A aproximação foi feita de forma genuína e forte.
  • Google Meu Negócio:

  • Faça o cadastro do seu site no Google Meu Negócio, que é totalmente grátis (não apresenta até hoje nenhuma objeção por parte dos tribunais de Ética do país). O Google Meu Negócio é uma plataforma do Google em que empreendedores podem divulgar o seu negócio de forma gratuita nos resultados orgânicos de pesquisa, no Google Maps e no Google +. Quais as principais funcionalidades da ferramenta? Inserir e apresentar sua localização no Google Maps (incluindo um tour virtual pelo seu negócio e o traçado de rotas para o estabelecimento); acrescentar dados de contato, como endereço, e-mail, site e telefone; exibir o horário de funcionamento e os horários de maior movimentação; compartilhar perfis em outras redes sociais. Abaixo você pode conferir como fica, na prática, uma busca feita no Google. Confere só!

  • Redes Sociais:

  • Inscreva-se nas redes sociais: facebook, instagram e linkedin. Você deve estar onde seu público em potencial está e as redes Sociais, com certeza, é um desses lugares. Quando elas surgiram quase que em sua totalidade eram voltadas para o entretenimento. No entanto, os tempos mudaram e essa divisão caiu por terra. As pessoas não têm mais esse preconceito com as Redes Sociais. Sendo assim, pode produzir conteúdo de qualidade por esses meios que existe plateia para consumi-lo.
  • Criação de Conteúdo: O Mais completo Guia de Marketing Jurídico

  • Crie diversos conteúdos relevantes que ajude seu cliente a entender determinada questão jurídica, dentro da sua área de atuação. Esse é o combustível das suas estratégias, seja com relação ao Inbound Marketing, seja com relação ao Marketing de Relacionamento. Tudo vai depender da sustentação do conteúdo que você produzirá. Aproveita e dá uma olhada nesse vídeo- do nosso canal do Youtube- que explica o que você aprender de Marketing de Conteúdo com o Guia Michelin (aqui). 
  • Linguagem clara:

  • Evite o “juridiquês”, escreva de forma clara. Faça o mesmo exercício de se colocar no lugar delas, imaginando o que elas estejam pesquisando, sempre pelo ponto de vista delas. Quando se tratar de relacionamento com seu público, esqueça a linguagem técnica. Seja o mais acessível e claro possível. Outra características dessa Era da Informação é que a informação deve ser entregue da forma como será consumida. Ou seja, o seu interlocutor não vai ficar traduzindo ou tentando entender o que você quis dizer. Nao foi claro o suficiente? Ele partirá para outro artigo ou outro site. Tenha muito cuidado aqui com a clareza!
  • Faça um excelente atendimento:

  • Ao receber um contato, preste um excelente atendimento, com o objetivo de encantar o futuro cliente e fechar o contrato. Invista num atendimento humanizado e personalizado. “Você só tem UMA CHANCE de causar uma 1ª boa impressão”. Um atendimento impecável é muito importante. Ainda mais em se tratando de estratégias que começam no digital. O atendimento será a primeira oportunidade que você terá dedar um rosto às informações e aos conteúdo que chegaram até o seu potencial cliente.

Dominando as ferramentas- o que fazer com cadas uma delas? O mais completo Guia de Marketing Jurídico

  • Mecanismos de Busca:

  •  É aqui que você vai entender quais as estratégias que você deve utilizar para aparecer nas primeiras páginas do Google. Antes de mais nada é importante que você entenda a relevância de estar de bem com o Google. Então, já falamos algumas vezes sobre utilizar vertentes do Marketing em que o cliente vá até você e aqui acontecerá exatamente isso. Você e seu conteúdo aparecerão para quem fizer pesquisas sobre determinado assunto. Sendo assim, num primeiro momento você será, simplesmente, uma indicação do Google. Compreendeu?
  • Prosseguindo, agora vamos falar sobre como aumentar o número de pessoas que chegam até o seu site e que lhe encontram através dos mecanismos de buscas. Para isso vou apresentar um conceito importantíssimo: SEO. Essa sigla em inglês significa Search Engine Optimization (otimização para mecanismos de busca). Nada mais é do que um conjunto de técnicas de otimização para sites, blogs e páginas na web. O SEO tem como objetivo alcançar bons rankings orgânicos gerando tráfego e autoridade para um site ou blog. Existe também a possibilidade de usar a estratégia de tráfego pago, no entanto, aqui o foco será em tráfego orgânico.
  • Como funciona o Google?

  • Antes de começar a jogar é imprescindível entender como o juiz pensa, certo? Por isso, aqui você vai entender quais os critérios para que o Google classifique um Site como relevante. As buscas nesse mecanismo são divididas em dois grupos: resultados orgânicos (gratuitos) e resultados pagos. Os resultados pagos aparecem no topo da página, sinalizados por uma marcação verde com o texto “Ad” ou “anúncio”. Para ocupar esses espaços, as empresas pagam através do Google Adwords. São os robôs que definem o nível de relevância e autoridade que seu site apresenta, sempre priorizando a qualidade de experiência do usuário.
  • Entenda que as estratégias para melhorar a qualidade do seu site se dividem em: on page e off page. Ou seja, os aspectos que serão trabalhados dentro do próprio site e os que serão trabalhados fora.
  • On page: o texto precisa ser de qualidade, ter tamanho suficiente para esclarecer todas as dúvidas sobre determinado assunto (a maioria dos textos que ocupam as primeiras posições giram em torno das 2500 palavras). Se esforce para que o seu texto prenda a atenção do leitor. Aqui, vou reforçar: esqueça o juridiquês! Invista numa linguagem clara e acessível. Isso porque, o tempo de permanência do leitor nas suas páginas também é preponderante para medir a relevância dos seus artigos.
  • Off page: são os fatores externos do seu site. Aqui, você deve atentar- principalmente- para os backlinks (são os links dos outros sites apontando para o seu). O Google avalia que essa espécie de links está relacionado com a relevância e a autoridade do seu site e do seu conteúdo e para os sinais sociais (são os números de menções e compartilhamentos nas Redes Sociais). São critérios bem influentes nos resultados das buscas orgânicas.
  • Fique de Olho! O mais completo Guia de Marketing Jurídico

    • Foque nas palavras-chaves. Você será buscado através de palavras-chaves. Sendo assim, essas palavras que farão as pessoas chegarem até você deverão ser o seu foco principal. Poderá ser seu ramo/área/segmente de atuação, sua expertise, dentre outras possibilidades.
    • Cuide para seu site estar otimizado. Exemplo: verifique se ele está carregando de forma rápida. O público em geral prefere site que respondam rápido.
    • Faça títulos interessante e que atraiam a atenção do leitor e que reforcem as palavras-chaves pelas queia você quer ser encontrado. Lembre-se disso!
  • Conteúdo: o mais completo Guia de marketing Jurídico

  • Cada vez mais podemos perceber a força do conteúdo para atrair e conquistar clientes em todas as áreas, na advocacia não seria diferente, não é mesmo?! Como existem as limitações na Publicidade é vital que você consiga colocar em prática estratégias mais seguras. Sendo assim, o indicado é que ao invés de convencer o seu potencial cliente a contratá-lo você passe para ele o poder da ação. Como assim? Sabe aquele ditado: ao invés de caçar as borboletas, plante um belo jardim?! Com conteúdo funcionará do mesmo jeito. A sua parte será feita através do Inbound Marketing aliado com o Marketing de Conteúdo. O Inbound Marketing é o Marketing da atração que terá como combustível o conteúdo produzido. Um combo eficaz e dentro das premissas da profissão e do Código de Ética.
  • O grande objetivo aqui é converter a pessoa que entra em contato com seu conteúdo, de estranho à cliente. Para isso você deverá seguir alguns passos e entender alguns conceitos de Marketing. Vamos lá!
  • Dica 1-

  • Entenda quem é a sua persona. O estudo aqui para entender quem está do outro lado é muito válido. Na Era de excesso de informação em que vivemos, as pessoas têm cada vez mais procurado textos e conteúdo que consigam captar as suas reais necessidades. Nada de textos rasos e superficiais. Sabe aquela sensação de que a pessoa que escreveu estava lendo a sua mente? É isso que você deve perseguir. Por isso, esteja atento às perguntas, aos comentários e aos feedbacks. Aos poucos você conseguirá delinear o perfil da persona ideal.
  • Dica 2-

  • Entenda em que fase (dentro da Jornada do Consumidor) está a pessoa que chegou até você.  Para isso, utilize os conhecimentos de marketing, como por exemplo,  a trajetória de compra do consumidor. 

 

  • Olhando para a figura acima dá para perceber que são 4 fases:(1) Aprendizado e descoberta(2) Reconhecimento do problema(3) Consideração de Solução(4) Decisão de compra
  • Exemplos:

    • Exemplo 1-

    • Flávio tem um problema de ordem jurídica, ele tem um processo em que é réu, e precisa se defender, e para isso precisará constituir um advogado para defendê-lo na ação.Quais caminhos que Carlos irá trilhar para contratar esse advogado?Basicamente são 3 caminhos:
      1. Buscar um advogado trabalhista que já conheça na sua rede de contatos;
      2. Pedir indicações para amigos;
      3. Buscar por um advogado trabalhista na sua cidade;
    • Flávio está no último estágio: “decisão de compra”, porque ele já tem um problema, busca por uma solução e tem um prazo já estabelecido para a 1ª audiência.Se ele não tiver já um nome de um advogado trabalhista, ou indicação de amigos, ele inevitavelmente fará uma pesquisa na internet.E você sabe o Google é a principal ferramenta de pesquisa na internet aqui no Brasil.Supondo que ele esteja em São Paulo, ele digitaria algo do tipo: “advogado trabalhista sp”.jornada do consumidor
    • Parece óbvio não é mesmo?O print acima mostra os resultados de uma pesquisa real no Google, e você percebe que os 3 primeiros resultados de pesquisa são links patrocinados de escritórios de São Paulo. Essa é uma forma rápida e prática de atrair clientes e receber demandas de serviços advocatícios, sem depender de indicações, mesmo que o advogado esteja começando agora. Não há decisão unânime dos Tribunais de Ética a respeito da possibilidade ou não de utilizar os links patrocinados. Verifique na sua Seccional qual é a posição. Mas não fique preocupado, existem muitas outras possibilidades (vide o Google Meu Negócio) que são gratuitas.
    • Exemplo 2-

    • Agora, vamos conhecer o Paulo. Ele construiu uma pequena casa de madeira num terreno cedido pelo Sr. Igor, e lá reside há 16 anos. Sr. Igor faleceu recentemente, tendo deixado um único herdeiro de 20 anos de idade.Paulo quer saber se tem direito a USUCAPIÃO do terreno, e o que precisa fazer para regularizar. Ele estará digitando no google algo do tipo: “usucapião como fazer”Agora pelo tipo de pesquisa no Google, dá para perceber que Paulo está na 1ª fase de “aprendizado e descoberta”, porque está buscando informações sobre o tema. Ele quer se informar sobre o tema primeiro, para depois buscar um advogado para representá-lo.Imagine que você escreveu um excelente artigo com o título “O que é usucapião e como funciona”, as chances de Paulo encontrar seu artigo, são muito grandes.O nome do jogo é gerar conteúdo relevante voltado para o seu público, sem jurisdiquês, de forma que um leigo possa entender.
  • Marketing de Relacionamento: O mais completo Guia de Marketing Jurídico

  • O que é? Trata-se de um conjunto de ações tomadas, tanto no sentido de criar, quanto no sentido de  manter um relacionamento positivo com os seus clientes.
  • Qual o objetivo? É fazer com que os clientes se tornem além de clientes, divulgadores do seu trabalho (sabe a boa e velha indicação?! Pois é!).
  • Como eu fiz meu dever de casa certinho, posso ler daqui sua mente. Você deve estar achando que estou maluca e que é muito coisa para pôr em prática. Mas, e se eu te contar que existem aqui um atalho de produtividade?! Sim! Isso mesmo! Existe um forma de você automatizar parte dessas ações de relacionamento com o seu cliente, sem que a relação se torne impessoal. A resposta? Email Marketing. Você pode programar e disparar esses emails e seguir com sua rotina normal. Abaixo seguem dicas e toques práticos que vão lhe ajudar nessa tarefa.
  • Pra você que ainda não está acostumado com os termos, o Email Marketing é uma das estratégias do Marketing Digital. É uma forma de você estar em contato com o seus clientes e com seus potenciais clientes através dos emails que você disparar. Já existem algumas ferramentas bem eficientes nessa tarefa de automatizar todo o trabalhão que você teria de montar campanhas e disparar emails de forma manual. Vou colocar aqui duas sugestões para você dar uma olhada:
  •  Mailchimp-

  • É uma ferramenta bem completa e consegue ser eficaz tanto para para quem está dando os primeiros passos, quanto para quem já tem experiência. Ela possibilita que você crie listas personalizadas, campanhas segmentadas e possui gráficos para que você acompanhe os seus resultados. Na sua  versão gratuita é permitido o envio de até 12 mil mensagens por mês, para 2 mil contatos. Já as versões pagas começam a partir de 10 dólares por mês, e  disponibilizam automação, recomendação de produtos e muito mais.
  • RD Station-

  • A ferramenta é brasileira e bem completa. Essas são algumas de suas funcionalidades: criação de ação de conversão dos leads (nome da pessoa que está na sua lista de email); análise das ações; integrações com as Redes Sociais. Os planos partem de R$ 59,00 ao mês.
  • Dicas de conteúdo para os emails- Guia Completo sobre Marketing Jurídico:

    • Parabenize o cliente em datas importantes da sua vida, como aniversário, formatura, entre outros.
    • Oferecer conteúdos relevantes que agreguem valor para seu cliente. Percebeu com as estratégias de Marketing se entrelaçam? Aqui é o Marketing de relacionamento somado ao Marketing de Conteúdo.
    • Realize pesquisas de satisfação para saber a opinião e as sugestões dos clientes para que seu atendimento possa ser cada vez melhor. Outra dica: estudos de Neuromarketing indicam ser mais proveitoso medir a satisfação dos clientes com base nos conceitos (ruim, regular, bom e ótimo), não com base em números. O motivo? Cada pessoa tem uma experiência com relação ao que cada nota de 0 a 10 representa. A carga de subjetividade é muito maior nesse critério.

Espero que o mais completo Guia sobre Marketing Jurídico  tenha motivado você a ser um profissional diferenciado. Pense diferente! Saia da caixa! Já sabe?! Se essas linhas te abriram uma nova perspectiva, curte o texto, compartilha! Faz ele circular por aí. Forte abraço e até a próxima!

 

 

 

 

 

Gostou desse artigo? Compartilhe!

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkdin
Share on pinterest
Compartilhe no Pinterest
Joana Salaverry

Joana Salaverry

Sou Joana Salaverry, fundadora do Portal PowerJus, educadora e advogada com pós em Políticas Criminais, e ajudo colegas advogados a conquistarem a realização profissional e o reconhecimento que merecem através do Empreendedorismo Jurídico.

mais artigos

Deixe um comentário

PowerJus © 2019 – Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: 

Em qual e-mail deseja receber o Livro Digital?

Nós respeitamos a sua PRIVACIDADE e nunca enviamos SPAM.